top of page

Sobre a Navalha

Atualizado: 4 de dez. de 2023


Lâmina em Damasco em W por @gabrielpierri_knives
Lâmina em Damasco em W por @gabrielpierri_knives


A Navalha é sinônimo de lâmina de precisão, pelo seu alto poder de corte e afiação e sua história é muito mais rica e antiga do que temos informações, por isso vale a pena conhecer um pouco mais sobre esse instrumento que atravessou eras e chegou até o século XXI mais atual do que nunca.







A História do barbear


O ato de barbear provavelmente tem suas origens na África, há 100.000 anos, quando os homens das cavernas começaram a arrancar seus pelos faciais usando uma pinça bruta feita de conchas ou de pedra entalhadas. O raciocínio por trás do súbito desejo se livrar de seus pelos faciais permanece obscuro. Enquanto alguns veem simplesmente como resultado do desenvolvimento das ferramentas essenciais, outros acreditam que foi principalmente para se livrar de piolhos e outros parasitas.


Seja qual for o caso, por volta de 30.000 A.C., cansados de aparar individualmente seus pelos faciais, os homens inventaram as lâminas de sílex afiadas suficientemente para fazer a barba. Logo após a introdução do sílex, alguns homens começaram a usar conchas afiadas como lâminas, até que por volta de 3.000 A.C., a humanidade inventou os metais e o sílex enfrentou um sério rival. Nessa mesma época, lâminas de barbear de liga de cobre aparecem no antigo Egito e Índia. Os egípcios mudaram para lâminas de bronze entre 1.567 e 1.320 A.C., considerado então um grande passo da metalurgia.

A partir do século XVII, a tecnologia de barbear melhorou enormemente. A primeira navalha reconhecível apareceu em Sheffield, Inglaterra, em 1680, e em meados do século XVIII a lâminas de excelente qualidade tornaram-se disponíveis.




 

King Camp Gillette

Pouco antes da primeira guerra mundial, Sr. King Camp Gillette patenteou o seu aparelho de barbear e fez um acordo com forças armadas dos EUA. Cada soldado americano enviado para a Europa levou consigo um aparelho de barbear Gillette na mochila. Depois de retornarem da guerra, os homens continuaram a usá-las, e tornou-se aparente que estava mudando a maneira dos homens fazerem a barba.

Os entusiastas dessas navalhas tradicionais recusam-se a deixar de usá-las em detrimento dos aparelhos de barber dos dias atuais, e o número de usuários dessas navalhas parece aumentar novamente.


A Navalha foi o instrumento de barbear mais usado antes do século XX

Navalha e Navalhete


A lâmina da navalha pode ser feita de aço inoxidável ou aço carbono, sendo que o primeiro é mais lento para afiar, porém tem mais durabilidade, enquanto o aço de alto carbono pode ser afiado mais rapidamente, contudo precisa ser limpo e seco logo tenha sido usado, pois tende a oxidar e manchar.

A lâmina da navalha gira em um alfinete através de sua espiga entre duas peças protetoras chamadas escamas: quando dobrada nas escamas, a lâmina é protegida de danos e o usuário está protegido. As talas do cabo são feitas de vários materiais, incluindo madrepérola, celulóide, osso, plástico e madeira. Uma vez feito de marfim, ele foi descontinuado, embora o marfim fóssil seja usado ocasionalmente.


Uma navalha de boa qualidade é flexível, confortável e possibilita fazer desenhos, seguindo curvas e contornos do rosto com mais facilidade. O corte dela é poderoso, o que permite um acabamento primoroso, porém, o risco de se cortar com ela é grande.

O navalhete lembra uma navalha, uma vez que eles têm um design parecido, com um cabo em uma extremidade e a lâmina no outro. A diferença é que no navalhete a lâmina é descartável e é encaixada no instrumento à parte.

O lado bom é que você tem um aparelho e pode variar as lâminas, testando modelos com precisões e qualidades diferentes. Além disso, eles costumam ser mais baratos que as navalhas, sendo um excelente investimento inicial para quem quer começar a se barbear usando essa técnica, mas ainda não se sente 100% seguro com a navalha.

A manutenção do navalhete é descomplicada, uma vez que é só substituir a lâmina por outra nova. Porém, se no início ele custa menos, em longo prazo, com tantas trocas de lâmina, a navalha se torna uma opção mais econômica.

Apreciadores costumam afirmar que você troca um navalhete por uma navalha, mas nunca faz o contrário. Então, digamos que quem aprende a usá-la, se acostuma com ela e se apega fácil. Afinal, elas têm uma durabilidade imbatível, podem ser personalizadas e são perfeitas para os amantes do barbeado tradicional.

O navalhete é indicado para iniciantes e usado em barbearias, por motivos de higiene, uma vez que as lâminas são trocadas para cada cliente. Por isso, o ideal é que o uso das navalhas seja exclusivamente pessoal.


Navalha é um instrumento de corte usado para barbear e cortar o cabelo. Possui um corte muito eficiente e um mecanismo flexível onde sua lâmina pode ser guardada sobre seu próprio cabo.

Tipos de lâmina de Navalha


Lâminas de fiação média

Quem é fã do visual da barba por fazer deve optar por uma lâmina de fiação média, que apara os fios mais deixa um leve sombreado, resultando em um look mais descontraído. Esta lâmina também é uma ótima escolha para quem tem pele sensível, já que ela confere uma aparência limpa. Por não ser tão precisa, promove um barbeado mais macio, seguro e confortável, deixando a cútis saudável.


Lâmina para desenho

A lâmina para desenho é conhecida por sua alta precisão e firmeza, pensada para aqueles adeptos do cavanhaque e outros modelos de barba desenhada. Modelos modernos garantem um barbear mais duradouro e não agridem tanto a pele. Mesmo assim, como o desenho exige um barbear muito rente, o rosto fica de fato mais predisposto a ferimentos.


Lâminas de alta precisão

Para os barbudos apreciadores de barbas cheias, as lâminas de alta precisão oferecem mais controle e um barbear com exatidão, aparando os fios com rigor e mantendo o corte. Barbas grandes e médias exigem mais cuidado e paciência na hora de barbear, pois qualquer erro pode deixar o visual final estranho. Assim, estas lâminas facilitarão a sua missão.




Depois da febre das peles 100% lisas, dê uns anos para cá as longas e belas barbas tornaram-se moda novamente, e com elas surgiram as barbearias retrôs, que oferecem muito mais do que cortes de cabelos e aparo dos fios do rosto. Ou seja, além do retorno da tendência vintage que faz estes espaços lembrarem os salões de beleza tradicionais das décadas de 50 e 60, voltaram-se as depilações mais rentes e os profissionais experts na ferramenta.

Fontes:

blog.beard.com.br

blog.seubarba.com.br

www.nybarbearia.com



633 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page